Celular "Tijolinho": A nova saga

Nokia fez um anuncio nesta segunda-feira lançando seus novos celulares com câmera com preços baixos. Os preços sugeridos no varejo serão de US$ 29. Os modelos, Nokia 108 e Nokia 108 Dual SIM, oferecem suporte para memória externa de até 32 GB, câmera VGA de 0,3 megapixel, MP3, rádio FM. O Nokia 108 possui cantos arredondados e virá nas cores vermelho, branco, preto, amarelo e azul. 



Os aparelhos contam ainda com tela de 1,8 polegadas, conectividadeBluetooth, e sua versão padrão possui bateria com duração de 31 dias em standby. Já a versão Dual-SIM com duração de 25 dias, mas os dois aparelhos prometem ainda duração de 13,8 horas em conversas. A Nokia, com os seus dois novos modelos de valor reduzido está focada em mercados emergentes, como o Brasil, que aparelhos com câmera e ainda dois chips costumam ainda fazer grande sucesso.

“Existe ainda um enorme segmento da população global que ainda não tem um celular com câmera”, afirmou em comunicado à imprensa o vice-presidente-executivo da Nokia Timo Toikkaken.

Fonte: Nokia


Apenas com e-mails, hackers sírios sequestram sites e perfis de Twitter

Na semana passada, os sites do “New York Times” e do “Huffington Post” foram sequestrados e redirecionados para uma página controlada por hackers do Exército Eletrônico Sírio (Syrian Electronic Army, SEA na sigla em inglês). O sequestro dos sites, que também foi acompanhado de uma modificação no registro do domínio de Twitter, é mais um capítulo da onda de ataques realizados pelo SEA, todos contra alvos populares. O detalhe: a principal arma dos hackers é o e-mail.


Os hackers do SEA são ativistas favoráveis ao regime de Bashar al-Assad, ditador sírio que enfrenta uma guerra civil no país. A agência de notícias “Associated Press”, a “BBC”, o jornal “The Guardian” e até o perfil do Twitter da Copa do Mundo da FIFA já foram alvos do grupo.
Os nomes, claro, não param por aí: houve ainda uma invasão ao site da rede de rádios norte-americana NPR, o site de humor “The Onion”, a rede de notícias ITV, e também a rede de publicidade Outbrain, que deu ao SEA o controle sobre páginas da CNN, da revista Time e do jornal “Washington Post”. O grupo ainda teria obtido acesso ao banco de dados dos aplicativos Truecaller e Viber.
O SEA também já conseguiu até balançar o mercado financeiro com seus ataques: ao invadir o perfil do Twitter da “Associated Press”, os hackers tuitaram uma mensagem informando que o presidente Barack Obama teria sido assassinado. As bolsas de valores norte-americanas despencaram até que a informação falsa fosse retificada.
Apesar disso, o SEA não parece ter qualquer conhecimento privilegiado de falhas de segurança. Embora alguns dos ataques do grupo ainda não estejam bem explicados, muitos deles foram possíveis graças a uma arma simples: e-mails.
O roteiro é simples: o SEA descobre os endereços de e-mail dos alvos – como os repórteres que têm acesso a um perfil de Twitter – e enviam uma mensagem especial ao alvo, tentando convencê-lo a clicar em um link, acessar uma página clonada e digitar a senha, sem saber que está entregando suas credenciais aos hackers.
A invasão está pronta.
A simplicidade dos ataques ilustra a confiança que ainda é depositada na autenticação do acesso. Todas essas organizações teriam condições de utilizar sistemas próprios para gerenciar pelo menos os seus perfis de Twitter – que não teve culpa pelos ataques. Os perfis não viram apenas postagens não autorizadas, mas sim uma perda total do controle para os hackers, forçando a rede de microblog a suspender as contas e tomar medidas para devolvê-las aos seus legítimos donos.
Mesmo assim, o Twitter acrescentou um mecanismo de autenticação de dois fatores, com um código de uso único enviado para o celular. Essa segurança adicional encobre os problemas mais complexos com o gerenciamento inadequado de senhas, mas não os resolve.
Outra especialidade do SEA está na utilização de falhas já conhecidas. Após ser revelado que uma revendedora da registradora de domínios australiana Melbourne IT havia sido comprometida, permitindo o sequestro dos domínios do New York Times, Twitter e Huffington Post, o próprio site do Melbourne IT virou alvo de um ataque. O blog da empresa, que usava o sistema WordPress, foi invadido. Curiosamente, a página do blog tinha em destaque um texto sobre como proteger sites feitos no WordPress.
O SEA não demonstra o grande conhecimento técnico de hackers e a falência dos sistemas de segurança das empresas, mas é o resultados de repetidas tentativas de enganação com mensagens de e-mail e outros meios simples de comunicação.

Fonte: G1

Netflix monitora pirataria para incluir conteúdo mais baixado no catálogo



Netflix está monitorando os downloads ilegais de filmes e seriados de TV para identificar os conteúdo mais populares em sites de torrent e incluí-los em seu catálogo. Desta maneira, a programação do serviço passa a ser desenvolvida sob uma nova lógica: baseada em downloads oferecidos por populares sites de compartilhamento e serviços de downlodas.


Na semana passada, após o lançamento oficial do Netflix na Holanda, o vice-presidente de aquisição de conteúdo, Kelly Merryman, disse que sites de pirataria desempenham um papel fundamenta em suas decisões de compra. Segundo Merryman, a empresa adquiriu a série de TV “Prison Break” após identificá-la como sendo uma das mais baixadas nesses sites.
Em entrevista concedida ao site de tecnologia Tweakers, o CEO da empresa, Reed Hastings, disse que o Netflix busca se tornar uma alternativa aos sites que distribuem conteúdo ilegal. “O Netflix é muito mais fácil de utilizar que um serviço torrent. Você não tem que lidar com arquivos, você não precisa baixá-los e movê-los. Basta clicar para assistir”, conclui Hastings.
Ainda segundo o CEO, em maio deste ano foi detectada uma queda na utilização do serviço BitTorrent no Canadá. Como justificativa, alega-se que a redução da pirataria se deve ao lançamento do serviço de streaming de vídeos do Netflix no país, que ocorreu há três anos.
Fonte: CNET

A Google sabe a senha de quase todas as redes WiFi do mundo


Depois de tantas notícias sobre espionagem e privacidade, todo mundo já está careca de saber que, de alguma forma ou outra, tem seus dados acessados por órgãos governamentais ou empresas privadas – o que é bastante grave.

Se você é um usuário dos serviços da Google, provavelmente deve conhecer as más notícias: a NSA pode acessar os dados sensíveis no Android (e também no iOS e BlackBerry), e sua conta do Gmail não oferece nenhuma privacidade. Agora, a Computerworld descobriu que a empresa sabe todas as senhas das redes WiFi de milhões de usuários no mundo todo.

Mapeando as redes do mundo

Isso é possível através do sistema de backup do sistema operacional, que mantém uma cópia do histórico de todas as senhas WiFi nos servidores da empresa. Dessa forma, a Google poderia ser obrigada legalmente a entregar essas informações caso um governo solicitasse, e então o acesso à sua rede WiFi estaria garantido.
A questão principal é que a Google não apenas armazena as senhas, mas faz isso de uma maneira em que é possível lê-las, caso tenha interesse. O recurso é ativado juntamente com a sincronização da lista de contatos e demais informações no Android, que restaura diversos dados no seu aparelho caso ele seja formatado ou você compre outro smartphone com o SO.
Isso significa que a Google tem um mapa de quase todas as redes WiFi em todo o mundo, já que existem mais de 1 bilhão de dispositivos Android ativados no planeta. Também significa que o governo americano pode ter acesso a milhões de redes WiFi em todo o mundo.


Fonte:
 Gizmodo

Intel desenvolve processador capaz de funcionar à base de vinho



Intel apresentou, durante o Intel Developer Forum, um processador tão eficiente que um copo de vinho tinto é capaz de fornecer energia suficiente para fazê-lo funcionar. Bastou mergulhar dois eletrodos baratos em uma taça com a bebida para o mecanismo condutor de eletricidade reagir com o ácido acético no drink. A pequena corrente elétrica gerada é o suficiente para alimentar um chipset de baixa potência.


A companhia acredita que esse tipo de chip é o futuro, especialmente quando se trata de conectar pessoas em países menos desenvolvidos. Outra pequena inovação inteligente demonstrada no evento diz respeito ao uso de um acelerômetro em dispositivos móveis configurado para reconhecer o estilo de andar do proprietário.
Para a Intel, se o telefone “sabe” qual atividade está sendo feita pelo usuário, ele vai desbloquear as aplicações mais rápido. O aparelho conseguiria prever que os aplicativos e funções utilizados quando a pessoa está parada são diferentes dos quais ela acessa quando está andando, por exemplo.
O projeto é ainda um conceito e não tem data para chegar ao mercado.
Fonte: Gizmodo

Nokia Lumia 625 é lançado oficialmente no Brasil



Depois de lançar algumas versões de Windows Phone 8 da linha Lumia, a Nokia anunciou o lançamento oficial do Lumia 625 no Brasil. O aparelho, além de ser o primeiro a vir com a atualização Nokia Lumia Amber, também é compatível com a rede 4G brasileira.
O Nokia Lumia 625 tem uma memória interna de 8 GB, podendo ser expandida com um cartão de 64 GB, e uma câmera de 5 megapixels. 


As especificações técnicas do aparelho são as seguintes: 

  • Processador: Qualcomm Snapdragon S4 dual-core de 1,2 GHz;
  • Memória: 512 MB;
  • Sistema operacional: Windows Phone 8;
  • Armazenamento: 8 GB (expansível com cartão microSD 64 GB) e 7 GB de armazenamento gratuito na nuvem;
  • Altura: 133.2 mm;
  • Comprimento: 72.2 mm;
  • Espessura: 9.2 mm;
  • Peso: 159 g;
  • Tela: 4,7 polegadas (800×480 pixels) Gorilla Glass 2;
  • Bateria: 2.000 mAh;
  • Tempo de bateria em stand-by: 23 dias;
  • Tempo de máximo de conversa (2G): 24h;
  • Tempo de máximo de conversa (3G): 15h;
  • Tempo máximo de navegação pela rede celular: 7h;
  • Tempo máximo ouvindo música: 90h;
  • Tempo máximo reproduzindo vídeos: 7h;
  • Tempo máximo navegando pela conexão WiFi: 8h.

O aparelho ainda traz diversos aplicativos de qualidade da própria Nokia, como o Nokia Música, HERE Maps e HERE Drive. Você também pode assistir vídeos usando o app do Netflix, por exemplo, ler e-books no Amazon Kindle e revistas digitais e outros conteúdo pelo Zinio, apps que estão disponíveis gratuitamente na Windows Phone Store.

Fonte: Nokia

Saiba como carregar o iPhone mais rápido e economizar tempo



A bateria é um problema clássico na vida de donos de iPhones, que ficam reféns das constantes carga dos aparelho. No entanto, perder tempo com o gadget conectado à tomada não é nada desejável para pessoas com o dia a dia corrido. Para te ajudar, preparamos algumas dicas para diminuir o tempo de carregamento do seu iPhone.



Passo 1. Desligue o celular.
Se você espera que seu iPhone recarregue mais rápido, o primeiro passo é desliga-lo. A razão é bem simples: se seu aparelho estiver ligado, ainda que na carga, ele está consumindo energia. Colocá-lo em “modo avião” também é uma boa solução, porque assim o celular não procura sinais de redes, como Wi-Fi.

Passo 2. Recarregue na tomada.
Está com dúvida entre a tomada e o USB do computador? Use a primeira opção. Seu iPhone carregará bem mais rápido se você conectá-lo à tomada em vez do desktop ou notebook. Guarde essa alternativa apenas para o último caso, quando não houver nenhuma opção por perto.

Passo 3. Otimize o uso do USB
Na falta de uma tomada, a solução mais fácil para recarregar um smartphone é através das portas USB do computador. Para que o celular recarregue mais rápido, o ideal é remover todos os outros dispositivos conectados e que podem estar consumindo energia. Também não deixe o computador entrar em modo de espera ou de hibernação, já que isso pode drenar a carga do seu aparelho e interromper o processo de carregamento.

Passo 4. Mantenha seu celular “frio”
A eficiência da bateria está diretamente ligada à temperatura do smartphone. Segundo a própria Apple, o calor desgasta a força do disposto e compromete a velocidade da sua recarga. Por isso, nunca deixe seu celular em porta-luvas, dentro de carros expostos ao sol ou carregando em lugares muito quentes. O ideal é que a temperatura do celular não passe de 22 graus.

Passo 5. Carga completa uma vez no mês
O conselho para quem tem um aparelho que usa bateria de lítio é nunca deixar que a carga acabe completamente, até que ele desligue. Para que a vida útil da bateria se prolongue, o ideal é plugá-lo na fonte de alimentação o quanto antes. Por isso, cuide para o que o aparelho não passe de uma carga completa por mês.

Fonte: Tech Tudo