Brasil é o país mais caro para se comprar um iPhone; veja lista completa

Se você, um fã da Apple, reclamava que o preço do iPhone é muito caro no Brasil, não vai ficar surpreso em saber que o país foi classificado como o local mais caro para comprar o smartphone.


Segundo um levantamento da Bloomberg, os brasileiros pagam US$ 1.016,74 (R$ 2.399) em um iPhone 5 de 16GB, o valor é 57% maior do que o preço praticado nos Estados Unidos (US$ 649). Vale lembrar que o levantamento foi realizado antes de a empresa reduzir o preço do iPhone 5 após o lançamento do iPhone 5S.


Veja abaixo quais são os outros países, que assim como o Brasil, também sofrem com o alto preço do iPhone:

Países mais caros para se comprar um iPhone

País
Brasil
Preço na moeda local
R$ 2.399
Preço em dólar
US$ 1.016,74
  Diferença em relação aos EUA
57%
Itália
€ 729
US$ 960,17
48%
Finlândia
€ 705
US$ 929,05
43%
Bélgica
€ 699
US$ 920,93
42%
Portugal
€ 699
US$ 920,93
42%
Dinamarca
DKK$ 5.199
US$ 918,23
41%
Hungria
HUF$ 209.890
US$ 914,11
41%
Suécia
SEK$ 5.995
US$ 905,48
40%
Rússia
RUB$ 29.990
US$ 894,79
38%
Áustria
€ 679
US$ 894,31
38%
França
€ 679
US$ 894,31
38%
Alemanha
€ 679
US$ 894,31
38%
Irlanda
€ 679
US$ 894,31
38%
Países Baixos
€ 676
US$ 890,36
37%
Espanha
€ 669
US$ 881,14
36%
Polônia
PLN$ 2.849
US$ 877,72
35%
Luxemburgo
€ 664
US$ 875
35%
China
CNY$ 5.288
US$ 864
33%
Noruega
NOK$ 5.190
US$ 854,73
32%
República Checa
CZK$ 16.627
US$ 847,60
 31%
Reino Unido
£ 529
US$ 823,49
26%
Nova Zelândia
NZD$ 1.049
US$ 817,80
25%
Coreia do Sul
KRW$ 890.000
US$ 810,64
24%
México
MXN$ 10.599
US$ 791,04
21%
Suíça
CHF$ 729
US$ 778,60
19%
Singapura
SGD$ 948
US$ 741,32
14%
Taiwan
TWD$ 21.900
US$ 733,32
13%
Austrália
AUD$ 799
US$ 723,49
11%
Hong Kong
HKD$ 5.588
US$ 720,60
11%
Tailândia
THB$ 22.900
US$ 712,06
9%
Emirados Árabes
AED$ 2.599
US$ 707,60
8%
Malásia
MYR$ 2.199
US$ 669,14
3%
Canadá
CAD$ 699
US$ 663,69
2%
Estados Unidos
US$ 649
US$ 649
0%


Fonte: Yahoo

Google Play tem quase mil aplicativos falsos publicados em apenas um mês



Um relatório da Symantec, fabricante do Norton antivírus, alerta que o número de aplicativos fraudulentos publicados no Google Play Store, a loja do Android, sofreram um aumento significativo no mês de agosto. Os dados sobre segurança em dispositivos móveis mostram que foram quase mil softwares, que receberam 8,5 mil downloads na plataforma do Google.



O número corresponde a 40% do total de aplicativos falsos publicados nos oito primeiros meses de 2013, que foi de aproximadamente 2,5 mil. Eles são normalmente publicados no início da noite, o que faz com que só sejam detectados pelo Google no dia seguinte. Pelo menos um aplicativo malicioso é publicado por dia na loja do Android e o tempo de sobrevivência do falso software aumenta quando isso acontece durante o final de semana.
Outro dado importante é que todos os meses surgem novos tipos de aplicativos, com novas táticas para atrair usuários. A boa notícia é que as novas variantes não têm sido bem sucedidas e desaparecem rapidamente da Google Play Store. Segundo a Symantec, o mesmo grupo de desenvolvedores publica cerca de 97% dos aplicativos perigosos.
A variante que têm feito mais sucesso inclui links para vários sites adultos, com um ou dois links que redirecionam para sites fraudulentos. A tática usada por estes sites é convencer as pessoas a pagarem taxas absurdas para poderem acessar vídeos pornográficos. O pagamento chega a cerca de US$ 1 mil (cerca de R$ 2,28 mil), o que, de acordo com a Symantec, é “um valor muito acima do cobrado pelos serviços legítimos” na Internet.
A tática de misturar links maliciosos com legítimos faz com que os aplicativos pareçam originais e driblem as rotinas de segurança. Eles também usam redirecionadores de URL para aumentar a dificuldade de detecção automática dos sistemas de segurança.
Além de aplicativos falsos, há outros que usam nomes ou trechos de nomes de aplicativos famosos mas não oferecem o mesmo serviço, se aproveitando da popularidade na loja.

Fonte: Techtudo