Linha Galaxy Tab 3 chega ao Brasil com preço a partir de R$ 700

A linha Galaxy Tab 3 já está à venda no Brasil. O aparelho tem tela com três opções de tamanho: sete, oito e 10,1 polegadas. Com especificações técnicas mais modestas, o tablet pode ser encontrado em lojas online com preços a partir de R$ 700.



O modelo com tela de 7 polegadas é o mais portátil. O aparelho vem com conectividade Wi-Fi e 3G, tela com resolução de 1024 x 600 pixels e 8 GB de memória interna. Para completar, ele vem equipado com processador dual-core de 1,2 GHz e sistema operacional Android 4.1 (Jelly Bean). O gadget apresenta ainda duas câmeras: uma frontal de 1,3 megapixels e outra traseira que fotografa com 3 megapixels.


Um pouco maior, o Galaxy Tab 3 vem com display de 8 polegadas e tem um hardware mais poderoso. O tablet é bem fino, com espessura de apenas 7,4 mm, e vem com processador dual-core de 1,5 GHz e 16 GB de memória interna. Além disso, o dispositivo roda Android 4.2 (Jelly Bean), tem display com resolução de 1280 x 800 pixels e câmera traseira de 5 megapixels.


Já o modelo Tab 10.1 vem equipado com duas câmeras, uma traseira com 3 megapixels e outra frontal de 1,3 megapixels. O gadget funciona com sistema operacional Android 4.2 (Jelly Bean) e oferece tela de 1280 x 800 pixels. Além disso, ele possui 16 GB de memória interna, bateria de 6.800 mAh e o melhor processador do trio: um dual-core de 1,6 GHz.


Todas as versões da série Galaxy Tab 3 vêm com serviços e aplicativos da Samsung pré-instalados, conectividades Wi-Fi, além de reproduzir áudio e vídeo em vários formatos. Os modelos têm ainda conectores para fones de ouvido, USB 2.0 e slots para cartões microSD. O primeiro já está à venda em lojas online por R$ 699, o segundo por R$ 1.399 e o terceiro por R$ 1.599.

Fonte: Tech Tudo

Estoque de IPv4 acaba em 2014; IPv6 é tema de debate no III Fórum da Internet


O esgotamento do protocolo IPv4 no Brasil deve ocorrer no primeiro semestre de 2014. A previsão anunciada nesta quarta-feira (5) é do gerente de projetos do Centro de Estudos e Pesquisas em Tecnologias de Redes e Operações do NIC.br, Antônio Moreiras, que coordenou o mini-curso sobre IPv6 durante o III Fórum da Internet no Brasil, em Belém. De acordo com a avaliação de Moreiras, a adoção do IPv6 por redes e aparelhos é cada vez mais necessária.


“O IPv4 deve se esgotar entre maio e junho de 2014 na nossa região, mas com base no consumo total pode ser que isso ocorra antes da previsão”, explica Moreiras.
Moreiras diz que no Brasil os trabalhos para adequação de redes e equipamentos não estão parados. “Entretanto o cronograma do governo e de algumas empresas é incompatível com o prazo”, aponta o gerente do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR, entidade civil e sem fins lucrativos que implementa projetos do Comitê Gestor da Internet no Brasil.
O que são IPv4 e IPv6?
O IPv4 é o atual protocolo de comunicação que permite a “conversa” entre os diversos computadores conectados à Internet, sejam eles computadores, tablets ou celulares. As especificações reservam 32 bits para um endereço numérico (IP), gerando mais de quatro bilhões de endereços para máquinas (número insuficiente e que esta se esgotando).
Já o IPv6 é a versão mais atual do protocolo de comunicação da Internet, sua implantação tem se dado de forma gradativa e é vital para os sites populares. A expectativa é a de que o IPv6 substitua o IPv4 com uma capacidade superior de endereços do novo protocolo.
Os endereços IPv6 são normalmente escritos como oito grupos de 4 dígitos hexadecimais. 
Por exemplo: 2001:0db8:85a3:08d3:1319:8a2e:0370:7344

Google e Facebook já estão adaptados
As estatísticas do IPv4 publicadas pelo NIC.br mostram que o esgotamento ocorrerá em prazo máximo de 269 dias. Segundo Moreiras, grandes players como Google e Facebook já estão preparados, mas quem ainda não se adequou poderá lidar num futuro próximo com implicações como aumento de chamados técnicos e queda na qualidade do serviço.
Para o usuário final a experiência em alguns serviços online e sites pode ficar comprometida em aparelhos que não suportam o IPv6. A não adequação ao protocolo traz o paliativo chamado de compartilhamento de IPv4, que compromete a segurança da navegação web.

Há ainda a preocupação com equipamentos que só funcionam no protocolo IPv4. É o caso do iPhone, da Apple, que só possui suporte para o IPv6 em conexão wi-fi, diz Moreiras.
A estratégia adotada pelo NIC é reunir com representantes do setor de equipamentos e formatar acordos de autoregulamentação dos prazos de adequação. “É importante ressaltar que adequar não influencia no aumento do preço do produto”, finaliza.

Nvidia Shield ganha nova data de lançamento

Nvidia Shield



Nvidia Shield, console portátil apresentado pela famosa empresa de hardware para computadores, ganhou uma data oficial de chegada ao mercado. O produto, que já teve sua data de lançamento adiada duas vezes, vai começar a ser enviado para quem o adquiriu na pré-venda no próximo dia 31 de julho.


A Nvidia emitiu uma nota oficial para os consumidores que realizaram a compra do Shield no último domingo (21) e pediu desculpas pelo atraso. Vale lembrar que o console portátil teve sua primeira data de lançamento marcada para o fim de maio, depois foi esticada até 27 de junho e agora, enfim, parece ter ganho uma previsão final.
“Gostaríamos agradecer a vocês pela paciência e por estarem ao nosso lado quando o envio do Shield foi adiado. Temos ótimas notícias para compartilhar com vocês: o Shield vai começar a ser enviado em 31 de julho”, diz a Nvidia.
Apresentado pela primeira vez na feira de eletrônicos CES, no início do ano, como Project Shield, o portátil terá tela de cinco polegadas com um controle de visual arrojado, sistema operacional Android Jelly Bean e processador Tegra 4. O gadget custa US$ 299 (cerca de R$ 600) e ainda está em pré-venda no site oficial da Nvidia ou no Newegg.
“Nossa tarefa sempre foi enviar o produto mais perfeito, então quisemos garantir que o Shield fosse testado e ganhasse os padrões de qualidade da indústria. Construímos o Shield porque amamos jogar e esperamos que vocês gostem dele tanto quanto nós”, completou a Nvidia na mensagem enviada aos clientes.
Em janeiro, na Campus Party, a empresa confirmou que o produto vai chegar ao Brasil. Entretanto, sua data de lançamento e preço ainda não foram revelados. O TechTudo já testou o Shield, durante a GDC 2013. Agora, resta aguardar se a versão final vai manter as mesmas características e torcer para que seu lançamento no Brasil seja em breve.

Confirma também a anatomia do dispositivo neste vídeo inusitado:



Fonte: Techtudo

Gigabyte lança PC para jogos menor do que um controle

As novas gerações de PCs e consoles têm certamente dificultado uma diferenciação objetiva entre ambos os formatos. Senão, o que dizer do Brix II, da Gigabyte? Trata-se de um pequeno cubo, menor do que um controle de Xbox 360, que se propõe a ser o seu computador para jogos — sendo facilmente acomodado embaixo da TV.
Mas, apesar do tamanho reduzido, o Brix II traz configurações parrudas. Ocupando uma área de 4,5 polegadas, o aparato traz saídas HDMI e Mini DisplayPort, quatro portas USB 3.0, uma entrada Gigabit Ethernet, WiFi, jack frontal de 3,5 milímetros e — o que é bastante animador — um processador Haswell da sua escolha.


Intel Iris embutido


Outra boa adição do Brix II é a GPU (unidade de processamento gráfico) integrada Iris, da Intel, a qual a companhia faz questão de equiparar à GeForce GT 650M, da NVIDIA.


Os preços variam entre US$ 500 e US$ 600, embora seja necessário prover o aparato com memória, hard drive de 2,5 polegadas e um sistema operacional — antes que qualquer jogatina seja realmente possível. Há também modelos mais modestos, com “caixinhas” saindo por US$ 200.
Quem testou também garante que a performance empolga. De acordo com o site The Verge, o Brix II é capaz de rodar Dirt II fluidamente em uma resolução de 1080p. Um representante da Intel também garante que Crysis 3 deve rodar sem maiores problemas — até certo ponto, naturalmente.


Fontes:
 TheVerge, Tecmundo